quinta-feira, 30 de outubro de 2008

Em busca da perfeição

Confesso que ontem foi uma noite bastante improdutiva em relação a aula propriamente dita, porém bastante produtiva com relação a discussão dos caminhos a serem traçados no sentido de elevar a qualidade do ensino a nós oferecido em contraprestação a um pagamento, bastante oneroso, que efetuamos.
Reafirmo o que disse, não me importo se estudo na Esamc, na Mauricio de Nassau ou nos Cafundó. Importo-me com um ensino de qualidade que me dê condições de disputar, em igualdade, com os que serão nossos "concorrentes". Não me importo ser chamado de cliente, desde que me ofereçam um estudo condizente com o que pago.
E aí vem uma pergunta. Estamos tendo? Acho que não. A culpa é da nova administração? Também acho que não. Em que pese o fato de se ter um molde de ensino que nos será imposto. Se o resultado for um ensino de qualidade, estarei satisfeito. Ocorre que hoje não estamos tendo isto.
Também há de se considerar a forma como estamos reagindo a esta situação. Existe uma evidente falta de unidade. Não é "levantado e indo embora" que vamos conseguir o que almejamos. 
Apesar de me alinhar com o pensamento do Geraldo com relação a dificuldade de adaptar as ideias educacionais à nossa realidade, penso que pode ser possível, ao menos compromisso de seriedade dos professores com aluno e, de nós aluno, não com a faculdade, mas com nós mesmos.
Porque aqui entra uma outra parte importante desta história e não menos viciada. Estamos fazendo a nossa parte? Se as aulas estivessem sendo dadas apenas por sumidades, estariamos tirando dele o máximo possível? O compromisso que cobramos dos professores, da faculadade, nós estamos tendo? E aí repito, não com a faculdade,  mas com nós mesmo.
É preciso, sim, refletir sobre a postura da nova administração no tocante a queda da qualidade de ensino, porém é também muito importante repensar a nossa postura enquanto alunos.

2 comentários:

Leandro disse...

Liderança, saudades de vc e de nossa turma. Parabéns pelo Blog. abração

negao disse...

"o importante é que estejamos unidos unitariamente em busca de um bem comum" E isso nó estamos...

Diêgo Fidélis