quinta-feira, 19 de fevereiro de 2009

A letra do Diego

Amigos, hoje nosso colunista semanal Diêgo Fidelis mandou-me um texto que, confesso, achei muito bom........ Bem, com a palavra: Diego

Então amigos, em uma conversa despretensiosa com o nosso querido e brioso amigo Rogério, no dia de ontem, segundo ele, viu em meus olhos, um brilho diferente..!!

Curioso, perguntei ao mesmo; - Rogério, o que protelas a meu favor?, Ele, no âmbito de sua sabedoria intrínseca.. Respondeu-me; - Caro Diêgo, ao chegar em casa não faça nada, absolutamente, vá direto ao computador e vomite seu Eu lírico. Amanhã, envie o que vomitas-te para minha pessoa!!!

            Eis aqui, como um humilde aprendiz, e seguidor das aporias de Rogério Faria, guardei seus sábios conselhos e tentei executa-los. O que saiu foi nada menos que isso.

 

 

O que é amar?

 

 no ar uma 'caricatura' do amor propriamente dito

 

O namoro é um aprendizado do amor. Fomos criados para viver esse sentimento. Sem ele, o homem e a mulher não podem ser felizes. Mas, afinal, o que é amar? O que leva muitos casamentos ao fracasso é a noção falsa que se tem do amor hoje. Há no ar uma “caricatura” do amor.

 Construir uma relação em cima de ilusões, é como se construir uma casa usando cimento falsificado, dia mais, dia menos vai acabar desabando sobre a sua cabeça. Da mesma forma, se você levar para o casamento um amor falso, ele certamente desabará, pois o “cimento” da união é o amor. Para mostrar bem claro o que é amar, vamos iniciar mostrando o que não é amar. 

Amor não é egoísmo, isto é, preferência pelo eu, mas pelo outro. Se você come uma fruta com gosto, não pode dizer que a ama. Se você treme de paixão diante daquela mulher que treina na sua academia e lhe diz : “eu te amo”, esteja certo de que você está mentindo, pois essa tremedeira é sinal de que você quer saciar o seu ego desejoso por aquela pessoa. Isso não é amor, é paixão carnal, é egoísmo. Se você está encantada com a beleza daquele cara, que você acha sensacional por ele ter um shape indegena americano, assim como o meu, e se desdobra em declarar o seu amor por ele, saiba que isso também não é ainda amor, pois amor não é pura emoção ou sentimento. 

Amar é muito mais do que isso, pois não é satisfazer a si mesmo, mas ao outro. Quando você disser a alguém “eu te amo”, esteja certo de que você não quer a sua própria satisfação ou felicidade, mas a do outro. Cuidado com as “caricaturas” do amor, porque estas são falsas e não podem fazer a felicidade do casal. Toda pessoa jovem tem sede de amar, mas, muitas vezes, o seu amor é mascarado e se apresenta falso e perigoso. Amar não é apoderar-se do outro para satisfazer-se; é o contrário, é dar-se ao outro para completá-lo. E para isso é preciso que você renuncie a si mesmo, esqueça de si mesmo. Você corre o risco de, insatisfeito, querer apaixonadamente agarrar aquilo que lhe falta; e isso não é amar. Assim o amor morre nas suas mãos. Você só começará a compreender o que é amar quando a sua vontade de fazer o bem ao outro for maior do que a sua necessidade de tomá-lo só para si, para se satisfazer. 

As paixões sensíveis da juventude, não são o autêntico amor, mas a perturbação de uma pessoa imatura que encontra diante de si os encantos e a novidade da masculinidade ou da feminilidade. É fácil entender que aqueles que quiserem construir um lar sobre esse chão de emoções estarão construindo uma casa sobre a areia. Muitos casamentos desabaram porque foram realizados “às cegas”, sem preparação para que houvesse harmonia, sem o aprendizado do amor. Amar é dar a si mesmo ao outro para completá-lo e construí-lo. Mas, para que você possa verdadeiramente dar-se a alguém, você precisa primeiro “possuir-se”. Ninguém pode dar o que não possui. Se você não se possui, se não tem o domínio de si mesmo, como, então, você quer dar-se a alguém? 

"Quando amamos de verdade, nos tornamos livres de fato, pois o amor nos liberta de nós mesmos e das coisas que nos amarram".

 

Abraço à todos. Tenham um ótimo dia. 

Um comentário:

gabrielly disse...

O responável pelo brilho nos meus olhos...como sempre, as palavras jorram de todo seu senso crítico amor...