quarta-feira, 22 de outubro de 2008

Respeito X Ibope


Todas as dores surgidas com relação ao caso Eloá devem ser respeitadas por todos, e aí se inclui a imprensa brasileira, que nos últimos episódios de comoção pública teve um papel simplesmente deplorável.
É de impressionar a sordidez, o papel mercantilista, a usurpação da dor familiar, a falta de respeito com os sentimentos dos entes próximos pela busca desenfreada e desregulamentada dos meios de informação por pontos no Ibope, já que isso pode render uns trocados a mais ao final de mês.
Não bastasse entrevista com o marginal ao vivo em programas vespertinos, a ampla cobertura do crime como se fosse um filme nos deparamos com transmissão ao vivo de velório e enterro. É de uma baixeza descarada, disfarçada no papel de informação ao povo. Repórteres pendurados sobre pessoas em busca do melhor ângulo do caixão da vítima. Tentativas insistentes de se entrevistar uma mãe destroçada por uma tragédia. O ponderável foi totalmente destruído.
Nesse tipo de caso, não há jornalismo que não seja com intuito sensacionalista, barato e irresponsável. Onde está a responsabilidade social que estes de concessionários de serviço público deve ter? Os limites do ponderável foram destruídos.
Após casos como este, é realmente pra se ponderar até onde a imprensa brasileira tem a condição de trabalhar com a falta de regulamentação que este setor se mantêm hoje no Brasil.

2 comentários:

negao disse...

Muito bem observado, meu caro e brioso amigo Rogério.. E as blasfemias sensacionalistas não param por aí!! Ana Maria Braga, também quer tirar uma tasquinha do caso, e subir seus ídices no IBOP. (finitos risos...) Cai pra nós, como cozinheira ela é uma ótima comentarista.

negao disse...

Muito bem observado, meu caro e brioso amigo Rogério.. E as blasfemias sensacionalistas não param por aí!! Ana Maria Braga, também quer tirar uma tasquinha do caso, e subir seus ídices no IBOP. (finitos risos...) Cai pra nós, como cozinheira ela é uma ótima comentarista.